segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Coco da praia

Um coco destes, numa praia destas... Tem o que dizer?

Só alguns comentários: hoje existem várias carrocinhas de coco espalhadas pela cidade, amarelinhas em forma de coco (porque amarelas?). Mas tomar o coco in-natura, na praia, e depois comer a carne sempre será imbatível. Ainda mais com as colherzinhas feitas da própria casca. Os turistas adoram.

Outro barato do coco é a imprevisibilidade. Assim como o futebol, o coco também é uma caixinha de supresas. (nossa, essa foi péssima.) Pode estar doce ou não, pode ter muita água ou pouca água, pode ter carne, aquela "laminha" ou nada, pode estar estragado. Prêmio Nobel para o trabalho: "Inferência das características gustativas do coco através de processamento de imagem". Quem se habilita?

Se fizerem isso mesmo, perde a graça. O juiz tem que errar, time pequeno tem que ganhar do grande. Senão não é fut..., quer dizer, coco.

Boa praia!

Serviço
Coco da Praia
Praias do Rio de Janeiro, e provavelmente do Brasil inteiro
O que comi: Coco (R$2,00)
Benefício/Custo: bom

ps: peço desculpas pela qualidade das fotos, eu sei que o blog já está merecendo uma câmera melhor. O problema é que tem que ser de celular, pra estar sempre com ela. Vou resolver isso assim que possível. Feliz Ano Novo!

3 comentários:

Taian disse...

Côco é sempre bom, porém acho R$2,00 um preço no máximo justo. A produção de côcos é enorme e a margem colocada sobre o produto é elevadíssima.
Abs

Alan disse...

Oi Taian,
Depende da época. Esse da foto saiu por dois reais, na Bahia lembro ter comido por 50 centavos. Os barraqueiros da praia têm que pagar luz, aluguel e empregados. Talvez não seja tanto lucro assim.
Mas mais de R$2,00, só com cara de gringo. Desta vez eu escapei!

illusionware disse...

Nos quiosques do leme até o leblon nessa época do ano o côco está sendo vendido a r$2,50, mas dá pra comprar por r$2,00 nos ambulantes que ficam na areia.
Faz parte!