terça-feira, 21 de abril de 2009

Wielkopolska Zagroda Restaurecje

(Caros leitores, este post inaugura a seção de colaborações. Todos estão convidados a mandar as suas, no formato dos post encontrados aqui. DM agradece!)

Por: Tadeu N. Ferreira

A oeste do centro histórico da simpática Poznań encontra-se um restaurante de comidas típicas da Wielkopolska (estado ao qual Poznań pertence). Sua decoração é rústica, com temas campestres e católicos. Fui numa terça-feira à noite, e mesmo assim havia bastante gente no restaurante. A maioria casais jovens, mas também algumas famílias em grande mesas de madeira nobre. As garçonetes são muito simpáticas e atenciosas. Há cardápios em polonês e inglês, mas com uma certa deficiência na descrição em inglês para alguns pratos.

Pedi de entrada uma sopa de aspargos para quebrar a temperatura de 10 graus de uma noite de verão polonês. É bem saborosa e com uma consistência cremosa. A seguir, como prato principal, pedi uma porção de 200g de lombo de porco com molho típico da região (descrito em 4 linhas no cardápio polonês, mas em 5 palavras em inglês). A carne era macia e o molho parece madeira, porém um pouco mais ácido. Para acompanhar, pedi a cerveja Zywiec, uma red ale suave, bem melhor que a Lech, a mais popular da região.

Por fim, de sobremesa, um strudel polonês de maçã com sorvete, típico de uma região que já pertenceu aos impérios alemão e prussiano. Em comparação com o similar alemão, tive a impressão de o strudel ser um pouco menos doce e com massa mais fina. A conta veio em torno de 50 zloty, o que dá em torno de 35 reais, mais do que justo para um brasileiro, um pouco caro para os padrões de lá.

Serviço
Wielkopolska Zagroda Restaurecje
ul. Fredry 12, Poznań, Polônia
O que comi: sopa de aspargos, lombo de porco com molho típico da região, strudel polonês de maçã, cerveja Zywiec (Total: 50 zloty, cerca de R$35)
Benefício/Custo: justo

Um comentário:

PCFilho disse...

Zito, qualquer dia vou requisitar sua contribuição no meu blog. :)

Sou chato demais com comida. Quando eu for à Polônia, to encrencado. Mas com a descrição do Tadeu tive vontade de experimentar a iguaria.